Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

Um apelo por união na Homeopatia

19 de Maio de 2020, por Maria Chorianopoulou

Existe um clamor extraordinário por união nos diferentes círculos da comunidade internacional de profissionais homeopatas. O argumento é que, a menos que estejamos unidos, não haverá promoção efetiva da homeopatia dentre as modalidades terapêuticas sérias. Os que mais clamam por união estão direcionado seu apelo a todos aqueles que praticam a homeopatia clássica, de acordo com os princípios estabelecidos por Hahnemann, e seguidos por Kent e outros mestres, mais antigos e mais recentes.

Eu acredito que todos esses profissionais sérios se mantiveram em silêncio nos últimos 30 – 40 anos por uma boa razão. Estes profissionais são os mais conscientes e bem formados, que estabeleceram uma prática de sucesso e não querem ser envolvidos em brigas sem sentido.

Mas basta. Alguém tem que falar claramente sobre esta situação, indescritível, na qual o nome da homeopatia tem sido arrastado e depreciado por pessoas ignorantes, que no esforço de promover novas ideias à esta ciência, têm, na verdade, a ridicularizado.

Observe algumas destas ideias insanas que predominam, hoje, e reflita que estas são as mesmas pessoas que clamam por união. Essas ideias têm alguma coisa a ver com os claros princípios científicos estabelecidos por Hahnemann?

- pêndulos para encontrar o remédio correto;

- remédios que são escritos em um pedaço de papel e tornam-se, então, dinamizados quando colocados em um copo de água;

- remédios selecionados pela astrologia;

- remédios selecionados por Tarô;

- remédios selecionados pela cor ou pelo designe da roupa do paciente;

- pregunta-se ao paciente qual a sua cor favorita e escolhe-se o remédio baseando-se nisto;

- prescrição de multiremédios (complexos) para patologias específicas, onde os sintomas individuais são ignorados;

- ter uma seleção de remédios específicos para determinadas patologias (cada um faz suas próprias seleções);

- terapia CEASE, uma forma de homeopatia que utiliza as próprias substâncias causadoras, nas preparações homeopáticas, e não os sintomas individuais;

- homeopatia detox, utilizando-se potências altas de diferentes remédios, sem considerar os sintomas individuais;

- homeopatia preditiva;

- experimentação de músicas, para que estas sejam usadas para curar o paciente;

- sons para computador que curam doenças com este simillimum.

- remédios dados via toques de celular;

- remédios dados de acordo com as preferências de um pássaro;

- experimentação de cores;

- alguns “professores” afirmam que não há necessidade de os remédios serem experimentados em humanos, mas que os sintomas de um remédio podem, simplesmente, ser imaginados – centenas de homeopatas “criativos” podem “imaginar” centenas de “experimentações” diferentes para o mesmo remédio;

- experimentações incompletas para os remédios, com ênfase nos sintomas mentais ou emocionais peculiares, e poucos ou nenhum sintoma físico;

- remédios dados de acordo com sensação e ilusão – acreditando-se não ser necessário fazer a tomada de caso completa;

- remédios prescritos de acordo com a doutrina das assinaturas. Ex.: leite de cadela para tosse “de cachorro”, remédio da noz-moscada para desordens cerebrais, já que a noz-moscada se parece com um cérebro;

- remédio do muro de Berlim para aqueles que querem evitar um divórcio;

- alguns “homeopatas” proclamam que o remédio indicado é dito a eles por Deus;

- desprezo pelo uso de todos os repertórios (um livro de referência chave, que lista todos os sintomas físicos, mentais e emocionais, que surgiu de experimentações completas e detalhadas);

- seleção do remédio através da tabela periódica e da síntese imaginária de sintomas, pela imaginação;

- uso de dispositivos especiais (elétricos/radiônicos), que podem reimprimir informações sobre um remédio, a partir de números, em simples grãos de açúcar.

- uso de dispositivos especiais (elétricos/radiônicos), que podem reimprimir informações a partir de uma foto ou um objeto pessoal do paciente, em simples grãos de açúcar.

- seleção de um remédio somente pelo miasma principal (psórico, sifilítico, sicótico, etc.);

- alguns “homeopatas” afirmam que podem enviar o remédio ao paciente através de ondas etéricas.

- alguns outros afirmam que nem precisam dar o remédio, têm apenas que pensar nele e o paciente é curado;

- outros sugerem prescrever somente de acordo com os sintomas mentais;

- outros afirmam que podemos dar um remédio a alguém hoje, e este o protegerá de epidemias futuras (Homeoprofilaxia);

- Alguns homeopatas utilizam equipamentos de biorressonância e método Voll para “encontrar” o remédio, e não a análise e repertorização;

E assim por diante.

 

Em face a todo este disparate, somos compelidos a condenar o absurdo e a irresponsabilidade, para salvar o status científico da homeopatia.

 

Após promoverem, ostensivamente, todas essas ideias insanas, essas mesmas pessoas apresentam-se com apelos incisivos por união, amor e coesão.

Se tem que haver unidade, no entanto, deve estar claro para todos que querem praticar a homeopatia e que desejam ser chamados de homeopatas, que existe apenas UM sistema homeopático curativo, aquele fundado por Samuel Hahnemann, com suas leis e princípios específicos. Segundo esta ciência, damos um único remédio homeopático (o simillimum) por vez, ao paciente, e depois avaliamos o efeito para continuarmos o tratamento, nos casos crônicos. Prescrevemos criteriosamente, estudando-se os casos com o Repertório e a Materia Medica. Se iremos praticar a homeopatia em si, devemos TODOS concordar que a homeopatia DEVE ser a verdadeira homeopatia Hahnemanniana.

Somente assim poderemos falar de unificação.

Neste caso podemos encontrar:

- Unificação em princípios bem fundamentados e em leis científicas;

- Unificação na rejeição de ideias ridículas e absurdas;

- Unificação na proteção da homeopatia contra a depreciação causada por aqueles que estão interessados apenas em aumentar seus próprios ganhos;

- Unificação na proteção dos pacientes contra falsos “homeopatas” e em mantê-los bem informados sobre o que realmente é a homeopatia;

- Unificação na identificação e banimento dos autoproclamados homeopatas, que promovem absurdos e ideias tolas;

- Unificação para protegermos novos estudantes de perderem anos de estudo tentando entender disparates que não podem ser aplicados com credibilidade na prática;

- Unificação para não permitirmos a publicação de artigos que trazem descrédito à homeopatia; e unificação no estabelecimento de regras para que os artigos possam ser aceitos para publicação.

- Unificação para ousarmos criticar até nossos amigos e companheiros, caso eles expressem opiniões não científicas sobre a homeopatia;

- Unificação na compreensão e reconhecimento universal de que a homeopatia é uma ciência verdadeira e crescente, e não uma miscelânea de ideias irrelevantes;

- Unificação para proibir a irresponsabilidade e o charlatanismo de prevalecerem em nome da chamada democracia aberta e liberdade de ideias.

Só então, conquistaremos uma voz ressonante que será ouvida pela comunidade médica, pelos governos nacionais e pelas organizações europeias e internacionais.

Mas, até que isso aconteça, no entanto, os que distorcem a homeopatia terão prazer em continuar com suas ideias não científicas, pedindo por unidade e desejando que essa situação continue para sempre, sem

perceber que, dessa maneira, a homeopatia não precisará ser extinta pelo lado de fora; já terá sido morta pelo lado de dentro.

 

 

Leia o artigo completo em: https://hpathy.com/homeopath…/a-cry-for-unity-in-homeopathy/ .

Rating:
( 0 Rating )

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Quem somos

Prestar serviços que garantam às pessoas adquirirem conhecimentos sobre a arte da homeopatia clássica e assim poderem usufruir de seus benefícios, tornando-os capacitados a ajudar a um maior número de seres vivos a serem mais saudáveis e vivendo em harmonia.