Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

Alonissos, 7 de Agosto de 2017

Ao Prof. Beny Spira Universidade de São Paulo, Departamento de Microbiologia (ICB)

Prezado Prof. Spira,

 

Escrevo-lhe este e-mail referente ao seu ataque injusto à homeopatia no Jornal da USP http://jornal.usp.br/artigos/a-homeopatia-e-uma-farsa-criminosa Primeiramente, gostaria de informá-lo que com a declaração apresentada, o senhor atacou milhares de médicos homeopatas profissionais em todo o mundo e milhões de pacientes exigentes que selecionaram a homeopatia como método terapêutico de escolha e que obtiveram benefícios com o mesmo.

 

Por isso, eu me pergunto como o senhor pode arriscar-se tanto ao atacar tantas pessoas? Colocar em risco a saúde e o futuro da saúde de tantos pacientes?

 

A minha resposta baseia-se em fatos e ficarei mais do que contente ao ouvir do senhor acerca dos fatos e apenas fatos...

 

Temos de separar a homeopatia dos outros métodos terapêuticos. Este foi exatamente o conteúdo do discurso do Prof. George Vithoulkas no Conselho da Europa (veja os detalhes abaixo):

 

CONSELHO DA EUROPA / Assembleia Parlamentar

Doc. 8435/11 de Junho de 1999

Relatório da abordagem europeia aos medicamentos não convencionais Comitê de Assuntos Sociais, da Saúde e da Família

Relatora: Sra. Lara Ragnarsdóttir, Islândia, Grupo Democrático europeu

Resumo ....

7. Em Maio de 1998, o Comitê dos Assuntos Sociais, da Saúde e da Família ouviu o Sr. Vithoulkas, um homeopata que recebeu o Prêmio Nobel Alternativo e que identifica três categorias terapêuticas separadas: em primeiro lugar, medicina alternativa, a qual inclui a homeopatia e acupuntura; Em segundo lugar, a medicina complementar, que abrange a osteopatia, quiropraxia, fitoterapia, naturopatia e assim por diante. E por fim, a terceira, a categoria paramédica, que inclui técnicas como musicoterapia e meditação que não possuem relação com os remédios adequados.

 

Sabe-se que existem ideias absurdas e estranhas na medicina alternativa e complementar, mas estas não devem ser confundidas com a Homeopatia, medicina séria e eficaz, como foi promulgada pelo Dr. Samuel Hahnemann. https://www.vithoulkas.com/writings/articles/british-media-attackhomeopathy-are-they-justified

 

A homeopatia clássica é uma modalidade terapêutica, médica de fato, baseada no princípio de que a possibilidade de cura para uma determinada doença pode ser alcançada através da aplicação especializada de substâncias farmacêuticas especialmente preparadas. Estas, ao serem administradas a uma pessoa saudável, produzem sintomas similares aos da doença em questão. Dessa forma, as substâncias comprovadas são efetivamente prescritas para as pessoas doentes, pela similitude dos sintomas registrados e comprovados com os sintomas apresentados pelo indivíduo adoecido.

 

A homeopatia clássica não afirma curar tudo mas é significativamente muito bem sucedida nos estágios iniciais das condições crônicas (quando o distúrbio apresenta caráter funcional). Quando há intervenção com o remédio homeopático correto, geralmente poderá ocorrer o impedimento do desenvolvimento da doença.

 

Um número significativo de estudos experimentais confiáveis e positivos sobre homeopatia em níveis moleculares, celulares e clínicos que foram publicados em Revistas de revisão por pares são apresentados abaixo para o pesquisador sério. Os trabalhos de pesquisa são categorizados em três grupos e os mesmos poderão ser visualizados separadamente ao utilizar os hiperlinks (entre colchetes): estudos humanos, estudos em animais e estudos in vitro.

 

Esses documentos foram rigorosamente pesquisados e produzidos por cientistas médicos e foram aprovados e publicados em revistas internacionalmente reconhecidas e altamente respeitadas ou em outras fontes científicas de materiais de pesquisa aprovadas. http://www.vithoulkas.com/research/positive-articles

 

Penso que também seja conveniente que veja o recente Relatório Suíço sobre homeopatia: http://rd.springer.com/book/10.1007/978-3-642-20638-2/page/1?wt_mc=Affiliate.CommissionJunction.3.EPR1089.DeepLink&utm_medium=affiliate&utm_source=commission_junction&utm_campaign=3_n sn6445_deeplink&utm_content=deeplink

 

Incluindo esses links bastante úteis da Organização Mundial da Saúde (OMS) sobre a Homeopatia: http://apps.who.int/iris/bitstream/10665/92455/1/9789241506090_eng.pdf?ua=1 http://apps.who.int/iris/bitstream/10665/44238/1/9789241598842_eng .pdf

 

No seguinte link, o senhor encontrará uma seleção de referências positivas, decisões e Diretrizes da Organização Mundial de Saúde (OMS), do Parlamento Europeu, do Conselho da Europa e de outros de 1975 a 2017. https://www.vithoulkas.com/research/recognition-homeopathy

 

Gostaria respeitosamente de chamar a sua atenção para o fato de o Prof. George Vithoulkas ter sido premiado com o Prémio Right Livelihood (Prêmio Nobel Alternativo) em 1996, "por sua contribuição excepcional para o renascimento do conhecimento homeopático e pela formação de homeopatas nos padrões mais elevados. " http://www.rightlivelihoodaward.org/laureates/george-vithoulkas/

 

Por fim, encontra-se no artigo abaixo uma importante abordagem do Prof. George Vithoulkas acerca dos ensaios homeopáticos e meta-análises e considerações interessantes sobre o artigo publicado na Revista Lancet. https://www.vithoulkas.com/research/articles/another-point-viewhomeopathic-trials-and-meta-analyses

 

É nosso dever moral mútuo apoiar e defender os direitos humanos das pessoas e os desejos instintivos dos pacientes, da liberdade de escolha da modalidade terapêutica que proporcione o melhor para si. Esta é uma questão importante da democracia: o respeito pelo paciente e a melhoria da qualidade de vida para a humanidade.

 

Estou à sua disposição para enviar-lhe detalhes adicionais, caso tenha interesse em maiores esclarecimentos.

 

Atenciosamente,

Maria Chorianopoulou

 

Rating:
( 0 Rating )

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Quem somos

Prestar serviços que garantam às pessoas adquirirem conhecimentos sobre a arte da homeopatia clássica e assim poderem usufruir de seus benefícios, tornando-os capacitados a ajudar a um maior número de seres vivos a serem mais saudáveis e vivendo em harmonia.