Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

Journal of Medicine and Life Vol. 11, Issue 1, January-March 2018, pp.75-82

 

Seema Mahesh*, Mahesh Mallappa*, George Vithoulkas**

*Centre for Classical Homeopathy, Vijayanagar, Bangalore, India

**University of the Aegean, International Academy of Classical Homeopathy, Alonissos, Northern Sporades, Greece

Correspondência: Seema Mahesh

Centre for Classical Homeopathy #10, 6th Cross, Chandra Layout, Vijayanagar, Bangalore 560040, Karnataka, India

Telefone: +91 9449084747,

E-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Recebido: 21 dezembro 2017 – Aceito: 22 março de 2018

 

Resumo

Background: A dengue é uma das epidemias mais violentas na Índia ultimamente e qualquer terapia que possa ajudar a limitar a doença e as internações hospitalares vale a pena ser considerada. Na Índia, os médicos da medicina alternativa e complementar são treinados e, portanto, tem um papel a desempenhar na prestação de serviço na saúde pública.

Série de casos: Apresentamos uma série de casos retrospectivos de 10 pacientes indianos que foram diagnosticados com dengue e tratados exclusivamente com remédios homeopáticos em Bangalore, Índia. Esta série de casos demonstra com evidências de exames laboratoriais que, mesmo quando as plaquetas caíam consideravelmente, um bom resultado foi obtido sem recorrer a quaisquer outros meios.

Conclusões: A necessidade de estudos maiores é indicada por esta evidência, para definir com precisão o papel da homeopatia no tratamento da dengue. Este estudo também enfatiza a importância do tratamento individualizado durante uma epidemia para a obtenção de resultados favoráveis com a homeopatia.

Palavras-chave: dengue, homeopatia, terapia individual

Abreviações: DF: dengue, NS1: antígeno de proteína 1 não estrutural, IgG: imunoglobulina G, IgM: imunoglobulina M, +: positivo, -: negativo, leucócitos: glóbulos brancos, glóbulos vermelhos, hemácias, VHS: velocidade de hemossedimentação

 

Background

Ultimamente, a dengue é uma das epidemias mais prevalentes na Índia; com o aumento de 30.000 casos em 2010 para 100.000 em 2016, tornando-se uma grande preocupação de saúde pública [1]. Embora a maioria dos casos se recupere com pouca medicação, considerando o potencial perigoso de complicações hemorrágicas, é essencial ter um sistema implantado que possa atender com eficiência a esse desafio. Em um país onde a assistência médica de qualquer forma é, muitas vezes, de difícil acesso para a população, os médicos complementares e alternativos são bem-vindos no auxílio, para aliviar a carga sobre a exigência de mão-de-obra e na economia. A homeopatia provou ser eficaz como profilática em grandes populações de áreas endêmicas de dengue [2], mas, até onde sabemos, esta série de casos é a primeira de seu tipo, com o fornecimento de detalhes dos tratamentos dos casos individuais com os exames laboratoriais correspondentes.

Série de casos

(Tabelas 1 - 10: Descrições dos casos)

Os 10 pacientes foram tratados para dengue no Centre for Classical Homeopathy, em Bangalore, Índia. Em certos casos, os pacientes recorreram aos antipiréticos no início da febre, mas uma vez concluído o diagnóstico de dengue, todos os pacientes foram tratados apenas com homeopatia. O diagnóstico foi feito, geralmente, no primeiro, segundo ou terceiro dia após o início da febre, com um exame de sangue para verificar a presença de antígeno NS1, imunoglobulina M (IgM) e imunoglobulina G (IgG). A NS1 é evidente no sangue nos estágios iniciais da infecção e indica a presença de uma infecção. IgM e IgG são detectáveis consideravelmente mais tarde [3]. Nesses casos, a presença de NS1 foi tomada como indicativo para iniciar o tratamento direcionado à dengue, e a estabilidade, em termos de sintomas e parâmetros sanguíneos (principalmente plaquetas), foi considerada como indicativo para interromper o tratamento. Um hemograma completo foi realizado no início e quaisquer parâmetros anormais (plaquetas, leucócitos ou NS1) foram monitorados regularmente até se estabilizarem (Tabelas 1 a 10).

 

 

 



Intervalo de referência normal para parâmetros sanguíneos: contagem leucocitária: 4.000 a 11.000 células / cu mm, neutrófilos (N): 40 - 75%, Linfócitos (L): 20 - 40%, Eosinófilos (E): 0 - 6%, Monócitos (M): 2 - 10%, Basófilos (B): 0 - 2%, Contagem de hemácias: 3,8 - 4,8 milhões de células/cu mm, hemoglobina: 11,5 - 15,5 g%, velocidade de hemossedimentação (VHS): 0 - 20 mm / h, contagem de plaquetas: 1,40,000 a 4,50,000 / cu mm, NS1 (Antígeno não específico 1): negativo (-), Imunoglobulina G (IgG): negativo (-), Imunoglobulina M (Ig M): negativa (-)

Resultados

Os pacientes com dengue, com positividade para NS1, geralmente continuam soropositivos para IgM no dia 5 e demonstram detectabilidade de todos os três marcadores nos dias 5 - 6 [3]. Os 10 casos neste relato incluíram 5 homens e 5 mulheres. O tempo médio desde a detecção de NS1 até se tornarem negativos, foi de 4,4 dias (mínimo de 3 dias e máximo de 8 dias). Cinco pacientes exibiram uma diminuição nas plaquetas, que foram normalizadas com o tratamento. Nove pacientes foram + para NS1 no momento do diagnóstico, e 1 paciente foi IgG + (provavelmente devido ao diagnóstico tardio). No caso 8, NS1 foi + ao diagnóstico, mas tornou-se IgM + no dia 4 e uma semana depois de receber o remédio homeopático, este voltou ao normal. No entanto, esse paciente levou 8 dias para recuperar-se. O caso 5 exigiu dois remédios em sucessão, porque o primeiro foi malsucedido, levando a uma redução maior do número de plaquetas. O segundo remédio teve sucesso, e a contagem de plaquetas imediatamente aumentou. Embora houvesse pelo menos três casos demonstrando sangramento da mucosa, nenhum desses casos evoluiu para o choque ou hemorragia grave. A importância do tratamento homeopático é que todos os pacientes mantiveram pelo menos uma condição geral razoavelmente boa durante a infecção e puderam retornar ao funcionamento normal em um curto período de tempo. Não houve evidência de qualquer síndrome pós virais, que é comum nesses casos [4]. A maioria desses pacientes já estava sob tratamento homeopático para suas queixas crônicas, eles não demoraram para buscar do homeopata. E se, em vez disso, tivesse decorrido um tempo considerável entre o início da dengue e a procura pela homeopatia, não podemos dizer com certeza se tais resultados favoráveis teriam sido alcançados.

Discussão

Esta série de casos é significativa pois, em todos casos, a prescrição baseou-se nos princípios da homeopatia clássica, que considera os sinais e sintomas individuais de cada paciente para a seleção do remédio. Frequentemente, esses sinais e sintomas não apresentam qualquer relação com o processo patológico que ocorre no indivíduo; em vez disso, eles são considerados parte da resposta imunológica ao agente patológico, que é uma tentativa de restabelecer a homeostase. Portanto, mesmo nas epidemias, em que o patógeno e patologia são semelhantes em todos os casos, a reação de cada indivíduo é diferente [5] Observamos neste estudo que apenas 3 dos 10 casos precisaram do mesmo remédio (como eles tinham muitos sintomas semelhantes). Os remédios são derivados dos reinos animal, vegetal e mineral. Eles são preparados por um processo especial chamado "potencialização", que torna as substâncias, até as mais tóxicas, seguras para utilização como medicamentos [6].

 

Conclusões

Esta série de casos demonstra que a homeopatia tem o potencial de ajudar no tratamento da infecção pela dengue. Outros estudos maiores são necessários para confirmar até qual ponto ela poderá ser empregada. Este estudo demonstra, ainda, que é essencial considerar os sintomas individuais, mesmo nas epidemias, para alcançar resultados favoráveis com a homeopatia.

Considerações finais

o A dengue é uma ameaça real à saúde pública na Índia. Médicos da Medicina Complementar e Alternativa podem ajudar a diminuir o fardo, pois eles são médicos que receberam treinamentos neste país.

o Esta série de 10 casos demonstra que a terapia individualizada com homeopatia para a dengue produz resultados favoráveis.

o Foi possível manter, até mesmo em situações com as plaquetas perigosamente baixas, sem hospitalização ou procedimentos complicados.

o Nenhum dos casos evoluiu para uma síndrome pós-dengue, fato que valerá a pena ser investigado como um benefício potencial da terapia homeopática

 

o Precisam ser conduzidos outros estudos maiores sobre a viabilidade e a extensão até a qual a homeopatia individualizada poderá ser empregada nas áreas afetadas pela dengue.

Financiamento: Nenhum.

Conflito de interesse: os autores declaram não haver

Consentimento para publicação: Um consentimento por escrito para a publicação foi obtido dos pacientes.

Aprovação do Registo de Ensaio e do Comitê de Ética: Não aplicável

Agradecimentos

Os autores reconhecem a ajuda de pacientes e seus parentes em concederem a permissão para a publicação dos detalhes de seus episódios de dengue e tratamento.

REFERÊNCIAS

1. Aus I, Sharma S. National dengue day: Is dengue increasing in India? Am I at risk? [Internet]. http://www.hindustantimes.com/. 2017 [cited 2017 Sep 30]. Available from: http://www.hindustantimes.com/health/natio nal-dengue-day-is-dengue-increasing-inindia-am-i-at-risk/story7QTvt8Qy6EmlsyhZWr30rM.html

2. Marino R. Homeopathy and Collective Health: The Case of Dengue Epidemics. International Journal of High Dilution Research. 2008;7(25):179 - 185. 114.

3. World Health Organization. Dengue haemorrhagic fever: diagnosis, treatment, prevention and control. New Edition ed. Geneva: World Health Organization, 2009.

4. Seet, RC., Quek, AM, & Lim, EC (2007). Post-infectious fatigue syndrome in dengue infection. Journal of clinical virology, 38(1), 1-6.

5. Vithoulkas G, Tiller W. The Science of Homeopathy. Athens: International Academy of Classical Homeopathy; 2009.

6. Hahnemann S, Dudgeon R, Boericke W. Organon of medicine. Kolkata: Modern Homoeopathic Publication; 2013.

 

Artigo original disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC5909950/pdf/JMedLife-11-075.pdf

 

Rating:
( 0 Rating )

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Quem somos

Prestar serviços que garantam às pessoas adquirirem conhecimentos sobre a arte da homeopatia clássica e assim poderem usufruir de seus benefícios, tornando-os capacitados a ajudar a um maior número de seres vivos a serem mais saudáveis e vivendo em harmonia.